Emplacamento do Detran SP: como fazer e quanto custa

emplacamento detran sp

Dúvida comum em milhares de motoristas, ainda mais após mudanças frequentes nas regras, o emplacamento do Detran SP se tornou uma dor de cabeça para quem não conhece os procedimentos, principalmente depois que o processo tornou-se digital e o suporte ficou precário. A fim de te ajudar, a Isencar trouxe a seguir a resposta para as principais dúvidas relacionadas ao assunto. Confira!

Como fazer o emplacamento do Detran SP?

A maneira mais simples e fácil, sem dúvida, é contratar um despachante para realizar o serviço de primeiro emplacamento em SP do seu carro. Caso escolha iniciar o processo por conta própria, é importante ter em mãos os documentos do veículo, fornecidos pela concessionária, e os documentos do proprietário.

Em seguida, com esses documentos em posse, antes de solicitar o registro, o condutor deve realizar o pagamento da taxa na agência bancária indicada pelo Detran, para o Registro do Veículo.

Após o registro do veículo, o CRLVe (Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo), documento obrigatório ao condutor para fins de fiscalização, estará disponível para emissão, permitindo assim o emplacamento no padrão Mercosul.

Quem deve colocar a placa Mercosul?

Em 2020, o processo de emplacamento mudou. Antes, era pago uma taxa ao Detran da sua região, que ficava responsável por emitir o Certificado de Registro de Veículo (CRV) e autorizar a criação da placa.

Em seguida, era informado o município que o veículo seria emplacado e o proprietário levava o veículo à lacração. A empresa conferia a ordem de emplacamento e registrava na base de dados do Detran a numeração do lacre e o código de barras que acompanhava a placa.

Após a instalação, a empresa responsável confirmava a execução do serviço e o veículo era liberado.

Novo emplacamento do Detran SP

Atualmente, regras e procedimentos para o emplacamento Mercosul mudaram. Após a emissão do CRLVe, o Detran repassa ao Denatran a informação de que a placa pode ser estampada. Na sequência, o condutor deve procurar uma empresa especializada no serviço e pagar para a produção das placas.

Alguns modelos de veículos podem receber a placa mini e, para saber se o seu carro poderá utilizá-la, verifique com a emplacadora ou com o Despachante. Em relação aos veículos usados, a obrigatoriedade da troca da placa antiga pelo padrão Mercosul, só acontecerá nas seguintes situações:

  • Transferência de município
  • Transferência de estado
  • Perda ou roubo da placa
  • Lacre ou placa danificados
crlve emplacamento detran sp
Crédito: divulgação

Quanto custa o emplacamento?

O valor cobrado pelos despachantes pode variar, devido às diferenças dos custos das taxas dos Detrans de cada estado do país e também pelo custo de vida de cada cidade. Vale lembrar que os serviços de documentação e emplacamento das concessionárias, possuem custos maiores em relação aos despachantes.

Já o valor referente a Placa de Identificação Veicular – PIV (padrão Mercosul), varia da mesma forma mencionada acima, e é definido pelas empresas emplacadoras. Quando você contrata um despachante, ele cuida também das placas, fazendo o emplacamento do veículo dentro da concessionária ou na sua residência.

Como a Isencar pode te ajudar?

Contar com uma equipe especializada nos assuntos que envolvem os serviços de um despachante documentalista sempre irá te ajudar. Com a Isencar, você evita dor de cabeça e tem à disposição profissionais para te auxiliar com a documentação do seu veículo novo ou usado, blindado ou não. Entre em contato com a gente!

Solicite orçamento

A Isencar está pronta para te atender. Estamos localizados em São Paulo, no Bairro Paraíso, na Zona Sul. Atendemos clientes de toda a região, como Av. Paulista, Vila Mariana, Jardins, Ibirapuera, Moema, Bela Vista, Aclimação etc. Caso você resida em outras regiões, temos serviços de motoboy e atendimento remoto.

Emplacamento do Detran SP: como fazer e quanto custa